Agreste pernambucano ganhará duas barragens

125

A fim de minimizar os efeitos da estiagem, que chega ao seu quinto ano consecutivo no Estado, e impedir a reincidência de cheias na região da bacia hidrográfica dos rios Mundaú e Canhoto, o Governo de Pernambuco autorizou a elaboração do projeto básico para a construção de duas barragens a serem erguidas nos municípios de Correntes (a 4km da sede do município, com acesso pela BR-424) e Canhotinho (a 3km da sede do município, com acesso pela PE-177), no Agreste pernambucano. A licitação, avaliada em R$ 1,3 milhão, foi publicada no Diário Oficial do Estado, por meio da Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag).

Com cerca de 60m de altura e capacidade para armazenar 200 milhões de metros cúbicos de água, a barragem Correntes será construída no rio Mundaú. Além do controle de cheias para o município de Correntes, a partir desse armazenamento, a expectativa é garantir uma oferta hídrica adicional de 500 litros por segundo, o que vai beneficiar cerca de 230 mil pessoas de Correntes e Lagoa do Ouro. A previsão de investimento final é de R$ 150 milhões, conforme a Seplag.

Já a barragem Canhotinho, que será erguida no rio Canhoto, contará com cerca de 50m de altura e capacidade para armazenar aproximadamente 150 milhões de metros cúbicos de água. Quando estiver em operação, o equipamento vai garantir uma oferta hídrica adicional de 350 litros por segundo, beneficiando cerca de 270 mil habitantes de Canhotinho, além das cidades de Angelim, Palmerina e São João. O investimento previsto para a construção dessa barragem é de R$ 120 milhões.