Chegam a sete as mortes por H1N1 e H3N2 em Pernambuco

60

Sobe para sete as mortes confirmadas em Pernambuco por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) decorrente das influenzas H1N1 e H3N2. A última vítima foi uma idosa de 90 anos, residente em Goiana, na Região Metropolitana do Recife (RMR), que foi internada no dia 17 de abril e morreu quatro dias depois. Ela teve confirmação do vírus H3N2. Até agora, todos os óbitos confirmados se concentraram no mês de abril, entre o dia 2 e 24 daquele mês, sendo cinco por H1N1 e dois por H3N2.

A cidade com maior número de vítimas fatais foi Jaboatão dos Guararapes com duas ocorrências, mas há registros no Recife, Barreiros, Camaragibe, Carpina, além de Goiana. O Estado já alcançou 90% de imunização global, porém os grupos de gestantes e crianças ainda estão aquém do percentual de segurança, com 88,7% e 80,6% de vacinação respectivamente. A campanha anual de vacinação nacional terminaria oficialmente nesta sexta-feira, mas será prorrogada em algumas cidades como Recife e Jaboatão.

O boletim da Secretaria Estadual de Saúde (SES) divulgado nessa quarta (20) aponta que, de janeiro até 9 de junho, já são 989 casos Síndrome Respiratória Aguda Grave em Pernambuco. São 62 casos a mais quando se compara com uma semana anterior. Das quase mil notificações, 32 foram confirmados para H1N1 (alta de 23% em uma semana) e 13 ocorreram para H3N2 (aumento de 21%). Ainda foram confirmados um caso do vírus VSR e um de influenza. Nas primeiras 23 semanas de 2017 foram contabilizados 1.051 casos de SRAG, com 67 confirmações para H3N2, 25 de influenza B, três VSR e um para influenza.

Sobre o levantamento vacinal, a SES informou que já atingiram a meta mínima os trabalhadores de saúde (97,5%), puérperas (110,8%), idosos (93,3%), indígenas (97,1%) e professores (97,1%). Pelos cálculos do governo, cerca de 240 mil pessoas ainda devem procurar os postos para tomar a dose.

Com apenas 65% das crianças seis meses a menores de cinco anos vacinadas, Jaboatão decidiu prorrogar a campanha até o dia 29. “A ideia é fazer até uma busca ativa. Vamos voltar às creches essa semana para identificar as crianças que ainda não foram imunizadas. O foco nestes próximos dias é intensificar as ações neste grupo porque os demais já alcançaram a meta”, explicou o secretário municipal de Saúde, Alberto Lima. Devido ao ponto facultativo desta sexta-feira os postos tradicionais da cidade estão fechados, mas um ponto avançado está montando em esquema especial de sexta a domingo no Shopping Guararapes.

Ponto facultativo
No Recife, devido ao ponto facultativo desta sexta-feira (22), as unidades que ofertam a vacina seguem com a imunização até segunda-feira. A cobertura entre os meninos e meninas também está baixa, 75%. “Precisamos evitar que as crianças, que têm o sistema imunológico em desenvolvimento, tenham quadros potencialmente mais graves, como uma pneumonia, que pode provocar a morte”, alertou o secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia.

A SES reforça que são alvo da vacina contra influenza no SUS os idosos, crianças de 6 meses a menores de 5 anos, gestantes, puérperas (mulheres que tiveram filhos até 45 dias), trabalhadores de saúde, professores, povos indígenas, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional e portadores de doenças crônicas não transmissíveis.

Deixe seu Comentário!