Condenação dos Canibais de Garanhuns completa 3 anos. Caso terá novo júri

97

O júri popular que condenou o trio conhecido mundialmente como os “Canibais de Garanhuns” completa três anos nesta segunda-feira (13). A expectativa, agora, é que um novo julgamento seja marcado pela Justiça, já que eles ainda respondem a processo por mais duas mortes registradas no Agreste de Pernambuco.

Jorge Beltrão Negromonte da Silveira, Isabel Cristina Torreão Pires e Bruna Cristina Oliveira da Silva foram condenados em 2014 pelo homicídio quadruplamente qualificado da Jéssica Camila da Silva Pereira, de 17 anos, em Olinda. Essa teria sido a primeira vítima do trio. Jorge, considerado o mentor dos crimes, pegou a maior pena: 23 anos de reclusão. Isabel e Bruna pegaram 20 anos de prisão cada uma. Confira especial do NE10 sobre o júri.

Segundo as investigações, os canibais planejavam os crimes, assassinavam as mulheres, esquartejavam e depois praticavam canibalismo. Com os restos mortais, ainda recheavam salgados – como empadas e coxinhas – e vendiam na cidade de Garanhuns. Lá, fizeram duas vítimas em 2012, ano em que foram presos. Desde então, o processo por essas duas mortes segue em tramitação na Primeira Vara Criminal de Garanhuns, que já decidiu que eles irão a julgamento.

O trio irá ser julgado pelas mortes de Alexandra Falcão, 20 anos, e Giselly Helena, 31. Segundo as investigações, os acusados criaram uma seita imaginária chamada Cartel, que tinha por objetivo diminuir a densidade demográfica. Para isso, deveriam exterminar mulheres que tivessem filhos, mas sem condições de criá-los.

 

Deixe seu Comentário!