Crianças venezuelanas refugiadas em Pernambuco começam a estudar

47

Os venezuelanos em idade escolar, alojados na ONG Aldeias Infantis SOS Brasil, no município de Igarassu, Região Metropolitana do Recife (RMR), vão iniciar o ano letivo a partir desta segunda-feira (6). São 14 crianças entre 4 a 11 anos, que receberão as boas-vindas na Escola Municipal João de Muniz, às 7h30. Refugiadas em Pernambuco desde o início de julho, as crianças devem ficar em uma sala especial, que contará com uma brinquedoteca e uma professora fluente em espanhol.

“Por enquanto todos vão ficar na mesma sala. Como a grade curricular da Venezuela é diferente no Brasil, ainda não podemos equiparar esses estudantes ao ritmo e desenvolvimento das nossas turmas regulares. Ano que vem, após avaliarmos o desempenho deles e a adaptação, vamos inserindo-os nas turmas de acordo com o nível escolar”, explica a secretária municipal de Educação, Andreika Asseker.

Como forma de acolher esses meninos e meninas venezuelanos, os estudantes da Escola João de Muniz aprenderam algumas frases em espanhol. O objetivo é realizar a integração dos novos estudantes a realidade escolar, conhecendo e convivendo com outras crianças. “Eles já passaram por tanta coisa. Então nós queremos recebe-los da melhor forma. Os alunos aprenderam algumas palavras em espanhol e, mesmo em turmas separadas nesse primeiro momento, as crianças vão poder ter contato mais próximo”, ressalta a gestora.

De acordo com a Aldeias Infantis SOS Brasil, desembarcaram na cidade 69 imigrantes, sendo 18 famílias. Destes, 13 são bebês de 0 a 5 anos, 13 são crianças entre seis e 12 anos, 10 são jovens de 13 a 18 anos e 33 são adultos de 21 a 60 anos. A maioria dos imigrantes, 67, solicitou refúgio no Brasil, enquanto que um deles é residente brasileiro e outro, uma bebê com menos de um ano, é brasileira recém-nascida.

Deixe seu Comentário!

Anuncie