Defesa Civil demole casas atingidas por explosão e determina reparos em outro imóvel

339

A Defesa Civil de Camaragibe, no Grande Recife, demoliu, nesta segunda-feira (22), o resto de duas casas que tinham sido condenadas depois de ficar destruídas na explosão provocada por um vazamento de gás, na sexta-feira (19). Os engenheiros também determinaram a realização de reparos em outro imóvel da área. O acidente matou três pessoas e feriu dois da mesma família.

Terceira vítima morreu no hospital
Avó e Neto foram enterrados sob comoção
No momento da explosão, em Jardim Primavera, havia sete pessoas nos imóveis atingidos. Morreram na hora Adalva Cecília Ramos, de 76 anos, e o neto dela Felipe Henrique Ferreira, de 17 anos. Eles foram enterrados, sob forte comoção, no sábado à tarde.

O marido da idosa, José Joaquim Ramos Filho, de 77 anos, conhecido como Gildo, morreu na noite de sábado (20), no Hospital da restauração (HR), no Recife, onde ficou internado. O enterro dele foi marcado para o domingo (21).

Além dos três mortos, ficaram feridos dois integrantes da mesma família. Maria do Carmo Ramos, de 60 anos, irmã de José Joaquim, teve alta na manhã de sábado, do Hospital Otávio de Freitas (HOF), na Zona Oeste capital pernambucana.

Bárbara Stephanie, de 18 anos, neta de Maria do Carmo, deixou a Unidade de Pronto Atendimento da Caxangá, também no Recife, na manhã de sexta.

As outras duas pessoas tiveram ferimentos leves e não precisaram ser socorridas. Uma adolescente de 13 anos que morava no local escapou por ter ido dormir na casa de uma madrinha.

Nesta segunda-feira (22), equipes da Defesa Civil de Camaragibe estiveram na área do acidente. De acordo com a engenheira Cíntia Maria de Souza Silva, que atua na prefeitura, foi preciso demolir paredes e outras estruturas de residências que ficavam coladas ao imóvel onde ocorreu a explosão.

O acidente ocorreu na casa de José Joaquim, dono do “Caldinho do Gildo”, que funcionava no mesmo imóvel. “Vamos tirar as estruturas da casa ao lado do caldinho e de outra moradia que ficava atrás. Uma dessas residências estava desocupada antes da explosão”, afirmou.

Na inspeção realizada nesta segunda, a Defesa Civil avaliou a situação de um imóvel de primeiro andar, com quatro moradias, que fica perto da área do acidente. De acordo com Cíntia, foram detectadas no local fissuras em paredes, além de janelas e telhas quebradas.

“Informamos ao proprietário que não será preciso tirar nenhum morador desse imóvel de primeiro andar. Vamos fazer reparos e depois realizaremos uma nova avaliação”, informou.

O secretário de Defesa Civil de Camaragibe, Roberto Ferraz, afirmou à TV Globo, nesta segunda, que o objetivo do órgão era limpar toda a área do acidente o quanto antes. “Estamos retirando todos os escombros para devolver o terrenos aos proprietários”, disse.

Explosão
A explosão foi causada pelo acúmulo de gás de cozinha na casa, onde, no térreo, José Joaquim mantinha o estabelecimento comercial chamado “Caldinho do Gildo”.

O botijão foi retirado intacto pelos bombeiros. O IC acredita que a combustão ocorreu quando alguém provocou alguma centelha, como ao ligar uma lâmpada, por exemplo.

O acidente atingiu três casas, que desabaram de formas total ou parcial. Foram enviados sete carros de bombeiros para a ocorrência, na Rua Frei Serafim. A localidade fica na entrada de Camaragibe, próxima a um posto de combustíveis. O chamado foi recebido pela corporação às 5h35.

Polícia
Por meio de nota, a Polícia Civil informou que o caso da explosão foi registrado pela Central de Plantões da Capital, mas as investigações são conduzidas pela Delegacia de Camaragibe.

A apuração, informou a polícia, terá como base a conclusão das perícias do Instituto de Criminalística (IC) e do Corpo de Bombeiros para identificar a responsabilização do fato e tomar as providências cabíveis.

Deixe seu Comentário!

Assine agora mesmo nosso grupo no WhatsApp e seja o primeiro e saber de tudo!

ASSINAR GRUPO VIP GRÁTIS
Anuncie