Em 12 horas, choveu o esperado para 15 dias no Recife

33

Em 12 horas, choveu no Recife o equivalente ao esperado para 15 dias. Segundo o balanço divulgado pela prefeitura, a Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) registrou 74,4 milímetros, entre as 21h de terça-feira (5) e às 9h desta quarta (6). A média histórica de fevereiro é de 144 milímetros.

O balanço divulgado pela administração municipal, nesta quarta (6), aponta que 11 árvores caíram na cidade. Até o fim da manhã, as equipes da Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana (Emlurb) tinham resolvido o problema em seis casos e os outros estavam em andamento.

Houve queda de árvores na Rua Samuel Campelo, nos Aflitos, e nas Ruas Capistrano e Odorico Mendes, em Campo Grande, na Zona Norte. No acidente da Odorico Mendes, um carro foi atingido.

Na mesma região, caíram árvores na Rua Francisco Paulo dos Santos, em Dois Unidos, na Rua José Carvalheira, na Tamarineira, e na Rua Doze de Outubro, nas Graças.

Na Zona Sul, árvores caíram na Rua do Campo, na Cohab, na Avenida Dom Hélder Câmara, no Ibura, e na Rua Maurício Wanderley, em Lagoa Encantada.

Houve um acidente com árvore na Rua da Baixa Verde, no Derby, na área central da cidade. Também foi registrada uma ocorrência no Cais José Estelita, que liga a Zona Sul ao Centro. Na Zona Oeste, uma árvore caiu na Rua Professora Ângela Pinto, na Torre.

A defesa Civil emitiu o alerta de chuva feito pela Apac para 31 mil moradores de áreas de risco cadastrados. Foram registrados 77 chamados para vistorias e pedidos de colocação de proteção plástica.

Uma das ocorrências foi um deslizamento de barreira no Alto Santa Tereza, em Passarinho, na Zona Norte, sem registro de vítimas.

Uma equipe da Defesa Civil foi acionada, a família recebeu colchões e cesta básica e foi deslocada para casa de familiares, segundo a prefeitura.

A Defesa Civil do Recife informou que mantém um plantão permanente e pode ser acionada por meio do telefone 0800 081 3400. A ligação é gratuita e a Central de Atendimento funciona 24h.

Por causa dos alagamentos, foram mobilizadas mais de 260 pessoas para os trabalhos de drenagem, além de três caminhões equipados com jatos para a sucção da água.

Ainda segundo a prefeitura, as equipes trabalharam para limpar galerias e canaletas da rede de drenagem da Avenida Visconde de Jequitinhonha, em Boa Viagem, e Pernambuco, no Ibura, e Avenida Benigno Jordão de Vasconcelos em Lagoa Encantada, todas na Zona Sul.

Na Zona Oeste, houve ocorrências na Avenida Abdias de Carvalho e Rua Araguaia, em San Martin, e na Rua Padre Teófilo Teor, na Ilha do Retiro.

Nas demais regiões, as equipes atuaram na Rua Conselheiro Portela e Avenida João de Barros, Encruzilhada e Avenida Agamenon Magalhães, em Santo Amaro.

No bairro da Bomba do Hemetério, na Zona Norte, o canal da comunidade transbordou por causa das chuvas e a correnteza nas ruas ganhou força, assustando os moradores. A Avenida Doutor José Rufino, na Zona Oeste, ficou alagada e os carros tiveram dificuldade para trafegar.

Na mesma região, a Rua Pará, no bairro de Cajueiro, e as vias do entorno amanheceram completamente alagadas. A água invadiu diversas casas.

A Autarquia de Trânsito e Transportes Urbanos do Recife (CTTU) notificou dois acidentes com vítimas, mas sem mortes. Ao todo, 65 semáforos apresentaram defeitos. A prefeitura informou que problemas em 21 sinais tinham sido resolvidos até o fim da manhã.

Fenômeno
As chuvas dessa madrugada foram causadas por um fenômeno meteorológico conhecido como Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), que se caracteriza pela interação de ventos vindos do Nordeste e umidade.

Segundo a Apac, ele traz riscos de temporal com possibilidade de chuva a qualquer hora do dia. No Recife, a previsão é de chuvas com intensidades de forte a moderada.

Deixe seu Comentário!

Assine agora mesmo nosso grupo no WhatsApp e seja o primeiro e saber de tudo!

ASSINAR GRUPO VIP GRÁTIS
Anuncie