Em época junina e de Copa, setor de queimados do HR opera no limite

47

Às vésperas das festas de São João e em plena Copa do Mundo, o setor de queimados do Hospital da Restauração (HR), no bairro do Derby, na área central do Recife, está com a capacidade no limite. Não há mais leitos masculinos disponíveis, segundo a direção da unidade hospitalar. Por outro lado, ainda há leitos femininos e infantis.

De acordo com dados do HR, do dia 10 até esta segunda-feira (18) houve nove internações em decorrência de fogos de artifício, sendo quatro crianças e cinco adultos. Ainda continuam internados dois adultos e uma criança. Entre os internados, Jaemerson Feitosa de Araújo, 7 anos, de Surubim, no Agreste do Estado, brincava com os irmãos quando acharam algumas bombas que tinham falhado e juntaram a pólvora. Ele riscou o fósforo e queimou uma parcela do lado esquerdo do rosto. Apesar do susto, o garoto não sofreu danos nos olhos e não tem a visão prejudicada.

A mãe de Jaemerson, a agricultora Luciana Leite Feitosa, de 32 anos, conta como aconteceu o acidente. “Eu não compro fogos de artifício para meus filhos, é muito perigoso. Infelizmente, ele e o irmão dele pegaram algumas bombas no chão na rua e fizeram isso. A gente lavou logo com a água e levou logo ele para a UPA de Surubim. A partir de agora, se eu já tinha cuidado, vou ter mais, pois é muita responsabilidade e cuidado com os meninos. A sorte que não prejudicou dentro do olho, só a palpébra e os cílios”.

O diretor do setor de queimados do HR, Marcos Barreto, deu algumas recomendações para que as pessoas utilizem fogos de artifícios. “Eu recomendaria às pessoas o máximo de cuidado com os fogos que elas vão soltar. Os fogos de alto teor explosivo podem lesionar a face e as mãos. Muito cuidado com o acendimento da fogueira porque muita gente se queima nessa hora pela utilização de combustíveis. Não esquecer de apagar a fogueira para evitar que as pessoas se queimem com brasas”, informou Marcos Barreto.