Homem suspeito de matar a ex-mulher jogando carro em árvore é solto

162

O suspeito de matar a ex-mulher, jogando o carro em uma árvore, na área central do Recife, vai responder em liberdade ao processo por feminicídio. Na noite desta sexta (17), Guilherme José de Lira Santos, de 47 anos, foi solto do Centro de Triagem (Cotel), em Abreu e Lima, na Região Metropolitana, onde estava preso desde 2018, quando ocorreu a morte de Patrícia Araújo, de 46 anos.

A batida que provocou a morte de Patrícia aconteceu no dia 4 de novembro do ano passado, na Rua Fernandes Vieira, no bairro da Boa Vista. A polícia concluiu que houve um feminicídio ocasionado por motivo torpe. Guilherme foi preso em casa, na Zona Norte da capital, no dia 17 do mesmo mês.

A decisão de revogar a prisão preventiva de Guilherme é do juiz Ernesto Bezerra Cavalcanti, da Primeira Vara do Tribunal do Júri Capital. Por meio de nota enviada nesta sexta-feira, o Tribunal de Justiça (TJPE), informou que depois de sair do Cotel ele deve cumprir algumas medidas cautelares.

A primeira delas é informar, até 24 horas depois da soltura, o atual endereço. A Justiça determinou, ainda, que ele deve se apresentar mensalmente para assinar um termo de compromisso e informar as atividades que vai desempenhar. Guilherme fica proibido de deixar o Grande Recife por mais de 15 dias, sem autorização judicial.

O advogado de Guilherme, Carlos Sá, também divulgou uma nota, afirmando que o pedido de revogação da prisão foi feito durante a audiência de instrução, realiza na quinta-feira (16), no Fórum Rodolfo Aureliano, na Ilha Joana Bezerra, na área central do Recife.

O defensor disse também que o juiz entendeu que a “medida extrema da prisão”, não se justificaria mais. Durante todo o dia, parentes e amigos fizeram manifestações na frente do fórum.

A libertação de Guilherme Lira deixou indignados parentes e amigos de Patrícia.

Deixe seu Comentário!

Assine agora mesmo nosso grupo no WhatsApp e seja o primeiro e saber de tudo!

ASSINAR GRUPO VIP GRÁTIS
Anuncie