Mercado Eufrásio Barbosa vira ponto cultural

23

Reaberto há três meses, o Mercado Eufrásio Barbosa (MEB), em Olinda, vai ganhando ainda mais forma de ponto cultural, reunindo atrativos à visita de nativos e turistas, com a ocupação de espaços e licitações em curso. O equipamento contará com exposição de mais de 120 alegorias carnavalescas, café, teatro, escola de gastronomia, restaurante-escola, livraria e uma filial do Centro de Artesanato de Pernambuco (espaço que funciona no Bairro do Recife) quando estiver totalmente pronto, segundo a previsão do Governo do Estado, no primeiro semestre de 2019.

Há 15 dias, a presidência da Agência de Desenvolvimento de Pernambuco (ADDiper) assumiu oficialmente a gestão e mudou a presidência para o MEB, “para garantir que tudo entre em funcionamento”, segundo o presidente Antonio Xavier.

O pavilhão de acesso ao interior do mercado, onde hoje estão banners que ilustram as peças, vão receber as bases, estruturas que serão licitadas nos próximos dias, que comporão a exposição de alegorias que tem curadoria de Fernando Augusto Gonçalves. “As peças já foram restauradas. A previsão é que esse espaço fique pronto até a primeira quinzena de dezembro”, disse Xavier. Todas as licitações do mercado – para contratação de mão de obra, segurança, ocupação dos boxes, por exemplo – já estão encaminhadas, segundo o presidente.

“Para a filial do Centro de Artesanato, vamos selecionar as peças com mais rotatividade e preços mais acessíveis.” Já a Escola Gastronômica de Pernambuco e o restaurante-escola devem entrar em funcionamento no primeiro semestre de 2019. “Esses projetos já estão prontos e aprovados. A escola vai formar sommeliers, baristas, chefs, garçons, entre outros profissionais. A curadoria será do Cesar Santos, que é o presidente da Câmara Setorial de Gastronomia do Desenvolvimento de Pernambuco da ADDiper”, explicou Xavier.

A Tramontina é uma das empresas que estão sendo sondadas para parcerias. “Ela atua aqui no Estado e essa parceria pode ser com doação, patrocínio ou redução de preços, caso eles aceitem aderir ao projeto”, comentou. O MEB já participará, de 9 a 11 de novembro, já está programado o 1º Festival Gastronômico de Mercado de Pernambuco. O café do MEB já está em operação provisória, e o teatro – batizado de Fernando Santa Cruz, em homenagem ao desaparecidos político pernambucano – depende apenas de questões estruturais. “Falta a instalação da subestação elétrica para poder abrir, que já está sendo acordado com a Celpe”, detalhou Xavier.

A programação do MEB, quando pronto, também contará com ensaios públicos de grupos culturais. Para organizar essa agenda, será aberto um edital para habilitação de interessados. O MEB ficou fechado por quatro anos até ser requalificado. As obras, orçadas em R$ 19,4 milhões, foram executadas pela Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer de Pernambuco, com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Deixe seu Comentário!