Micro-ônibus que capotou na BR-101 Sul era clandestino, diz Sindicato

73

O micro-ônibus que capotou na BR-101 Sul na noite dessa quarta-feira (17), em Jaboatão dos Guararapes, transportando estudantes universitários era clandestino de acordo com o Sindicato de Transporte Escolar do Estado de Pernambuco (Sintespe). O acidente resultou na morte de uma estudante universitária de 19 anos e deixou 15 alunos feridos.

O veículo havia saído da Faculdade dos Guararapes, em Jaboatão dos Guararapes, com destino ao Cabo de Santo Agostinho, mas capotou no km 84 da BR-101, próximo à fábrica da Vitarella, no bairro de Prazeres, por volta das 22h30 dessa quarta-feira (16).

Segundo a assessoria de imprensa do Sindicato, o veículo não era vistoriado pelo Departamento de Trânsito do Estado de Pernambuco (Detran-PE) ou pela Prefeitura do Cabo de Santo Agostinho. Além disso, o motorista não seria qualificado para a função.

O assessor do Sintespe, José Bezerra dos Santos, informou que o veículo não estava regularizado junto à Prefeitura do Cabo de Santo Agostinho, onde apenas 17 veículos em operação estão autorizados a fazer o tarnsporte. “Mais de 70% dos que operam na cidade com transporte escolar são irregulares”, assegura Bezerra.

De acordo com o assessor, os motoristas precisam apresentar atestados de antecedentes criminais e de capacidade física e mental, curso de condutor escolar (oferecido pelo Sest/Senat) e o relatório de pontuação no Detran para obter a autorização municipal ou estadual.

Quando o município não possui lei própria para o transporte escolar, segundo o assessor, o órgão estadual de trânsito – Detran – realiza as vistorias e emite as autorizações. “Estamos solicitando à Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), que oriente os municípios a criar sua legislação”, afirma Bezerra.

Leia também:
Caminhão tombado na BR-101 é retirado da via após 36 horas
Micro-ônibus capota na BR-101 Sul e fere vários estudantes; uma jovem morreu

Vítimas
No capotamento, a jovem Juliana Maria da Silva, de 19 anos, que estudava Nutrição na Faculdade dos Guararapes, morreu no local do acidente.

Outras cinco vítimas que foram socorridas para o Hospital Dom Helder Câmara, no município do Cabo de Santo Agostinho, seguem hospitalizadas nesta quinta-feira (17). Naiala Laiena da Silva, de 19 anos, está consciente e respira com a ajuda de aparelhos, mas foi transferida para o Hospital da Restauração, na área central do Recife. Ana Claudia Britto, de 25 anos, sofreu fraturas no pé, quadril e fêmur e teve de passar por cirurgia. Sem previsão de alta, ela apresenta quadro de saúde estável e está consciente e estável.

David Guilherme Ferreira Gomes, Paulo Augusto Silva Oliveira e Michelle Pereira Aracanjo já foram vistos pelos médicos, estão conscientes e orientados, com estado de saúde estável. Eles continuam na unidade de saúde aguardando a realização de novos exames.

Procurada pela reportagem, a Polícia Rodoviária Federal informou não ser autorizada a fornecer a placa do veículo com sua identificação. O Detran, por sua vez, só pode verificar a documentação do micro-ônibus com a placa. A Faculdade Guararapes informou que não possuía qualquer relação com o transporte, o contrato era feito direto com os alunos.

Deixe seu Comentário!