MPPE atua na investigação da morte de policial em Santa Cruz

652

O Ministério Público do Estado de Pernambuco (MPPE) está acompanhando as investigações do assassinato do cabo da Polícia Militar André José da Silva, 32 anos, morto durante troca de tiros com assaltantes em Malhada do Meio, Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste, no dia 1º de julho deste ano.

As oito pessoas – seis homens e duas mulheres – foram mortas em confronto com a Polícia Militar entre Barra de São Miguel e Riacho de Santo Antônio, na Paraíba, no dia 2 de julho, dia seguinte após a morte do policial. Entre os homens há um vereador do município de Betânia, no Sertão. Ele teria ido ao local para resgatar o irmão, que seria um dos líderes da quadrilha.

De acordo com o MPPE, o órgão também está investigando possíveis excessos cometidos por policiais pernambucanos durante a atuação em conjunto com a PM da Paraíba em Barra de São Miguel, na ação que matou oito suspeitos de integrar uma quadrilha de roubo a bancos.

Três dos mortos estariam envolvidos diretamente na morte do policial. O Ministério Público pernambucano também está trocando informações com o MP da Paraíba para fornecer o subsídio necessário para auxiliar na elucidação do caso.

Relembre o caso
No dia 1º de julho, quatro homens armados assaltaram uma casa lotérica e um mercado no bairro Dona Lica, em Santa Cruz do Capibaribe, e foram perseguidos por uma viatura da Polícia Militar. A viatura foi atingida por vários disparos. O soldado André Silva, 32 anos, que dirigia a viatura, foi ferido e não resistiu. O corpo foi sepultado na zona rural de Santa Maria do Cambucá.

Já o PM que estava no banco do passageiro, Moacir Pereira, 47, ficou ferido, mas conseguiu sair do veículo. Ele foi levado para a UPA de Santa Cruz do Capibaribe para receber atendimento e depois transferido para o Hospital Regional do Agreste (HRA), onde se recupera.

Deixe seu Comentário!

Assine agora mesmo nosso grupo no WhatsApp e seja o primeiro e saber de tudo!

ASSINAR GRUPO VIP GRÁTIS
Anuncie