Nova empresa assume coleta de lixo de Olinda em caráter emergencial

114

A coleta de lixo de Olinda, na Região Metropolitana do Recife (RMR), será feita pela empresa Locar Gestão de Resíduos a partir deste sábado (30). O serviço era de responsabilidade do Consórcio Trópicos Cael, cujo contrato chega ao fim nesta sexta-feira (29) após 23 anos de atividades na cidade-patrimônio.

Procurado pela reportagem do DE OLHO EM PERNAMBUCO, o secretário de Serviços Públicos de Olinda, Evandro Avelar, esclareceu que o contrato com a Locar é de caráter emergencial e tem duração de 180 dias, a um valor de aproximadamente R$ 14 milhões por todo o período – que inclui o réveillon, as prévias e o período do Carnaval – enquanto o processo licitatório para a escolha de uma nova empresa não fica pronto.
“O contrato é em modalidade de morte súbita. Ou seja, assim que a nova empresa for escolhida o acordo chega ao fim”, explicou Evandro. O valor pago atualmente pela gestão municipal é de R$ 1,8 milhão por mês. A seleção para o contrato emergencial recebeu propostas de cinco empresas (incluindo a Cael) e foi vencida pela Locar, que cobrará cerca de R$ 1,7 milhão por mês. Os acordos podem ser de até cinco anos, com possibilidade de prorrogação em caráter excepcional por motivos especiais, como o atual contrato entre Prefeitura de Olinda e Cael, em vigor há seis anos.

O edital da licitação para a escolha da nova empresa está em análise há cerca de quatro meses no Tribunal de Contas do Estado (TCE). “A empresa assumirá os serviços de limpeza urbana da cidade pelos próximos cinco anos. Este edital deve ser divulgado ainda neste mês de janeiro”, afirmou o secretário. “Tomamos todas as medidas para licitar e consultamos várias empresas, inclusive a atual. “Esperamos resolver o mais rápido possível. Não posso precisar o prazo porque depende de julgamento do tribunal, mas deve ser entre dois e três meses”, completou Evandro Avelar.

Problemas na coleta
Moradores da cidade reclamam da falta de caminhões e garis e do mau cheiro nas ruas do município nas últimas semanas. As falhas são registradas na PE-15, na avenida Presidente Kennedy, em Peixinhos, duas das principais vias da cidade, no bairro de Rio Doce e na orla. Segundo Evandro Avelar, os problemas acontecem por dificuldades da atual empresa.

O secretário esclarece as irregularidades na coleta. “Existem falhas, não vamos negar e não são de agora. Alguns problemas na empresa acabam dificultando a operação”, explicou. “Nesse período de troca poderemos ter alguns problemas, mas daqui a 30 dias esperamos não ter nenhuma falha, porque estaremos com uma nova empresa funcionando”, garantiu.