Pais dormem em fila tentando matricular filhos em escola estadual no Recife

194

Uma fila se formou em frente à escola Liceu Nóbrega de Artes e Ofícios, no bairro da Boa Vista, Centro do Recife, nesta segunda-feira (21), dia em que começa o prazo de matrícula nas vagas remanescentes da rede estadual de ensino. Pais e responsáveis tentavam matricular os filhos na instituição, mas foram surpreendidos ao descobrir que não havia vagas.

A gráfica Nubya Helena tem três filhos e uma estuda no Liceu. Desde 18 de dezembro, ela tenta matricular outra filha no local, mas não consegue.

“Existe uma lei que me garante a vaga, porque já tenho uma filha aqui. A outra está migrando da rede municipal para a estadual. Fiz a solicitação e ela não consta em listagem de escola nenhuma. Estou há oito dias na fila e eles disseram que liberariam uma vaga hoje, mas estão dizendo que não tem”, afirma.

A lei a qual Nubya se refere foi sancionada em novembro de 2018 e prevê a prioridade de matrícula em uma única instituição para estudantes que têm os mesmos representantes legais, conforme a disponibilidade de vagas na instituição.

A crediarista Renata Rodrigues tentou matricular o filho de 11 anos por quatro vezes no Liceu. Ela dormiu na porta da escola no domingo (20) e, mesmo assim, não garantiu a vaga.

“Foi muito constrangimento. Eu cheguei às 18h, mas tinha gente que tinha chegado às 5h do domingo. Dormimos no papelão, com ratos na rua, para chegar às 7h e dizerem que não tem nenhuma vaga. É um absurdo. Todo mundo que dormiu aqui é porque veio outras vezes na escola e disseram que haveria vagas hoje”, diz.

O professor Valdemir Rocha, além de não conseguir vaga para o filho de 13 anos, também estava tentando entender como as vagas do Liceu são disponibilizadas.

“Infelizmente, o sistema é totalmente obscuro. Só se matricula aqui quem conhece alguém da secretaria. É uma escola de qualidade, mas o método de matrícula é totalmente obscuro. Existe um quantitativo de vagas, a gente imprime o comprovante da internet. Quando chega aqui, eles dizem que não há vagas”, declara.

Resposta
A direção do Liceu informou que todas as vagas da escola foram preenchidas e que nenhuma vaga sobrou para ser aberta para outros interessados. Segundo a direção, as vagas são preenchidas seguindo os critérios da Secretaria de Educação e a secretaria confirmou que não existem vagas para escola.

O Liceu abre, em média, 100 vagas para novos alunos, geralmente para duas turmas do sexto ano. Isso ocorre porque os alunos que já estão na escola quase nunca pedem transferência e renovam automaticamente a matrícula para os anos seguintes.

Segundo Neuza Pontes, gerente regional de Educação, apesar de não haver vagas no Liceu, estudantes podem ser matriculados em outras escolas da rede.

“Hoje [segunda-feira], estamos iniciando o processo de matrícula em vagas remanescentes da rede. Ninguém vai ficar sem estudar, mas no Liceu temos uma procura muito grande e não temos vagas, mas temos outras disponíveis na rede”, afirma.

Por meio de nota, a Secretaria de Educação e Esportes de Pernambuco (SEE) informou que, no caso do Liceu, “as vagas já haviam sido preenchidas na movimentação dos estudantes da própria Rede Estadual e dos oriundos dos municípios ou nas primeiras horas da abertura do sistema, em novembro”.

A secretaria também informou que o período para matrícula esteve aberto entre 13 de novembro e 27 de dezembro de 2018 e para efetivação, até o último dia 16 de janeiro. Mesmo após esses processos, sobram vagas na Rede Estadual.

Deixe seu Comentário!

Assine agora mesmo nosso grupo no WhatsApp e seja o primeiro e saber de tudo!

ASSINAR GRUPO VIP GRÁTIS
Anuncie