Passeio do Parque da Jaqueira será janela para o rio Capibaribe

46

Quem tem circulado pelo passeio do Parque da Jaqueira, no trecho voltado para a avenida Rui Barbosa, no Recife, percebe que a área está no foco de uma requalificação. O gradil que circunda o parque já foi recuado em parte da avenida, ampliando a área de recuo para oito metros, e deve se prolongar em toda a extensão da calçada que margeia aquela via. O que pouca gente sabe é que o alargamento do passeio está incorporado ao projeto Parque Capibaribe, com vias de tornar a área a primeira janela para o rio Capibaribe na Zona Norte do Recife – incluindo ainda uma série de novidades paisagísticas e arquitetônicas que visam a retomar o protagonismo do rio para aquele trecho da cidade.

Iniciativa, que especialistas envolvidos na obra chamam de “calçada-parque”, e que coloca a cidade na vanguarda de um urbanismo já praticado na Europa e nos Estados Unidos, que contam com calçadas amplas e multifuncionais. “O Parque Capibaribe não é uma linha d’água. O projeto em si não é apenas na borda da água. Ele alcança um território 500 metros para dentro da cidade, em média. Quando chega naquele trecho, envolve o próprio Parque da Jaqueira. O Parque Capibaribe é um parque do rio que vai se conectando com a cidade e, naquela área, o Parque da Jaqueira vai até o rio”, explicou o pesquisador e professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Roberto Montezuma, que é um dos coordenadores do Parque Capibaribe.

Segundo ele, a ideia de modificar a calçada casa com a iniciativa de acoplar os dois parques, criando uma interligação. A obra vai muito além da reestruturação da calçada. Abrange também a criação de um novo acesso principal à Jaqueira, pela avenida Rui Barbosa. Hoje, a entrada oficial é pela rua do Futuro. “O acesso do parque hoje se dá pela rua do Futuro e tem uma saída pela Rui Barbosa. É uma saída tímida, que não está articulada com a margem do rio. Dessa maneira, queremos que o parque dê acesso ao rio. O Parque Capibaribe, naquele ponto, engloba o Parque da Jaqueira e o engorda. O Recife, por muito tempo deu as contas para os rios. Transformou as águas em espaços sem valor, e estamos mudando isso”, reforçou.

Montezuma explicou que o layout do recuo segue os moldes de uma calçada-parque, dando uma sensação de continuidade entre a Jaqueira e o Capibaribe e promovendo o reforço de uma área pública de convivência naquele trecho. O professor da UFPE e também coordenador do Parque Capibaribe, Luiz Vieira, negou que a iniciativa trará excesso de concreto para a calçada. De acordo com ele, dos oito metros de recuo, três serão de pavimento e os demais com cobertura vegetal que incluirá grama. O especialista destacou que as árvores já existentes no local serão preservadas pelo projeto arquitetônico, e que há previsão de novos plantios. No desenho macro dessa interseção da Jaqueira com o Capibaribe ainda estão previstos a construção de uma espécie de arquibancada para contemplação do rio e um pequeno anfiteatro na margem direita da Rui Barbosa.

O militante da mobilidade a pé e consultor de empresas Francisco Cunha comentou que o formato atual da calçada do Parque da Jaqueira é estreito demais para a grandiosidade do espaço e as intenções de intersecção com o Capibaribe. Segundo ele, não haverá prejuízo para área. “O conceito de redução do parque (da Jaqueira) é equivocado. O fato de a grade estar mais à frente ou mais atrás não tira um centímetro do parque, apenas amplia a calçada. Se isso for mal interpretado, a cidade vai perder. Acompanhei o projeto e ele é muito importante. O que está se fazendo lá é uma abordagem de acordo com os padrões do mundo civilizado”, reforçou.

Quem circula pelo local demonstra uma expectativa positiva sobre a ampliação da calçada. “Eu acho que vai ficar muito bom. Caminho por aqui todos os dias, prefiro andar pela calçada do que na pista de dentro. Fora que o visual desse lado é excelente”, disse Darlan Ribeiro, 71. A atendente Edijamar Faustino, 42, concorda que a requalificação vai abrir os olhos de quem passa pelo local e muitas vezes nem percebe o rio. “Aqui temos um outro olhar, o da natureza. Fora que o calçamento estava mesmo ruim. Esse espaço é outra opção para a gente ficar quando o Parque da Jaqueira fechar”, comentou.

Em nota, a Autarquia de Urbanização do Recife (URB) informou que “a ampliação das calçadas do Parque da Jaqueira foi pensada, integrada ao Parque Capibaribe, e segue os seus conceitos, elaborado em parceria entre a Prefeitura do Recife, e o INCITI da UFPE, ouvindo a sociedade”. A URB reforçou ainda que a ampliação não significa a retirada de área verde. Haverá, ainda, o nivelamento da rua com as calçadas do Parque da Jaqueira e da margem do Capibaribe, a fim de conectar essas duas áreas públicas e melhorar a acessibilidade. Existe a proposta de deslocar a parada de ônibus, deixando-a mais próxima do parque. Aliado a isso, está sendo projetado um recuo na Rui Barbosa, exclusivo para o transporte público.

Deixe seu Comentário!