Pistola que feriu aluna em curso da polícia de PE fez vítimas em quase todos os estados

69

A pistola Ponto 40 que apresentou problemas durante uma aula do curso de formação da Polícia Civil de Pernambuco, na última quarta-feira (20), será periciada pelo Instituto de Criminalística (IC). Uma aluna de 29 anos fazia uma prova de tiro quando a arma realizou cinco ou seis disparos consecutivos após uma falha que aparentemente ocorreu em uma peça que deveria segurar as balas seguintes. A Pistola PT 24/7 é uma arma produzida pela empresa brasileira Forjas Taurus S.A. Relatos de casos de pane em armas desta empresa foram registrados em quase todos os estados brasileiros. Um site chamado “vítimas da Taurus” contabilizou mais de 100 casos de pessoas feridas em incidentes, em meio a policiais, agentes e civis com porte de arma.

Por meio de nota, o Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol) afirmou que denuncia o problema com armas usadas por policiais pernambucanos há mais de um ano. “O Sinpol pleiteia diariamente a substituição dos armamentos da Taurus dentro da Polícia Civil. Pela inércia e irresponsabilidade do Governo, que insiste em manter essas armas nos quadros e nas mãos dos policiais, muitas pessoas correram risco de morte. Na verdade, esses riscos são diários e trazem risco não só para policiais, mas para a sociedade como um todo. Constantemente os equipamentos da supracitada marca apresentam panes e disparos acidentais. No entendimento da direção do Sinpo é inconcebível que este armamento continue na corporação”, informou o comunicado.
O sindicato apresentou uma documentação em que solicita ao IC a realização de perícias técnicas em todas as armas usadas por agentes de segurança de Pernambuco. Em resposta, um ofício assinado pela gestora da polícia científica, Sandra Santos, comunicou que “a solicitação de perícia criminal e/ou perícia médico legal compete a autoridade policial ou a autoridade judiciária”.