Polícia apreende equipamentos de som que perturbavam Carnaval em Tamandaré

160

Quem fugiu para Tamandaré em busca de sossego durante a folia está com um motivo extra para comemorar. A 10ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM) lançou uma operação de tolerância zero em relação à poluição sonora, e da sexta (9) até o momento já confiscou seis aparelhos de som.

“Fazemos ações tanto educativas como repressivas. As ocorrências diminuíram bastante desde janeiro, quando começamos com essa operação em conjunto com a delegacia de Tamandaré”, conta o comandante da 10ª CIPM, major Fernando Júnior. As ocorrências estão sendo recebidas sem que haja a obrigação de comparecimento das vítimas, e após lavrar o termo circunstanciado de ocorrência (TCO) os equipamentos ficam retidos até que o juiz dê andamento ao processo e arbitre um valor de fiança.

Ainda segundo o major, havia um grande volume de queixas nesse sentido, e por isso a ação não será sazonal. “Vamos trabalhar de forma ininterrupta, também após o carnaval”, adverte. “Muitas pessoas estão colaborando com a polícia e ligando para agradecer nossa intervenção”, acrescenta.

Um dos muitos veranistas que aprovam a novidade é o empresário Luiz Eduardo Silva. Pai de Luiza e Izabela, de três anos, e de Tiago, de quase um, ele se desesperava com o barulho. “Frequento a praia há quase uma década, e apesar de haver leis regulando isso, muita gente não respeitava os limites. Eu sentia a casa vibrando com as batidas mais graves. Era enlouquecedor, especialmente para quem tem crianças pequenas. Aqui mesmo na minha rua eram três casas competindo para ver quem colocava o som mais alto. No domingo, a polícia veio, levou os equipamentos e agora a paz voltou”, comemora.

A 10ª CIPM é uma das corporações de funcionamento mais recente em Pernambuco: foi inaugurada em novembro de 2017, conta com 140 policiais e atende a cinco cidades do Litoral Sul (Tamandaré, Serinhaém, Rio Formoso, Barreiros e São José da Coroa Grande).

Saiba Mais

Muita gente acha que, se for entre 8h e 22h, não há problema em fazer barulho. Porém, de acordo com o artigo 42 da Lei de Contravenções Penais, não existe uma hora determinada para que alguém possa utilizar sons tão altos que cheguem a perturbar o sossego alheio e incomodar os vizinhos. Em nenhum horário os ruídos podem ultrapassar o limite de 70 decibéis. E quem se sentir lesado, não precisa acompanhar a polícia até a delegacia: a lei diz que uma pessoa que notifica acerca de uma infração penal não precisa se identificar.

Deixe seu Comentário!