População denuncia quadra destruída em Paulista

39

Construída há 30 anos na avenida Arcoverde, em Paratibe, na cidade de Paulista, a Quadra do Mangueirão foi destruída pela gestão municipal sob a alegação de que será erguida no local uma Unidade Básica de Saúde (UBS). O projeto desagradou boa parte dos moradores da comunidade, que reclamam que não foram consultados sobre a obra e se uniram para reivindicar a área de lazer de volta. Depois de tanta polêmica, com grande repercussão nas redes sociais e pressão em cima da prefeitura, o prefeito Junior Matuto abriu o diálogo e se comprometeu a apresentar uma nova proposta no próximo dia 23 de julho.

A aposentada Gercina Jerônimo de Lima, de 64 anos, mora há 36 anos no local. “Eu vi isso sendo construído. A história do bairro se deu ao redor desse espaço. Todos nós estamos contra essa obra. Nós queríamos que ele fosse requalificado porque estava entregue, precisando de reparos. Não isso”, lamenta. Em janeiro, a Prefeitura do Paulista prometeu reformar o local e devolver a área revitalizada em fevereiro.

Passados cinco meses de atraso, foi comunicada, através do site da prefeitura, a nova proposta. “De repente, vieram com essa história de posto. Nós já temos uns seis aqui por perto, mas falta estrutura, médico, remédio. Tem que investir nesses locais. Mas área de lazer nós não encontramos facilmente. Precisamos ir até Jardim Paulista para poder fazer uma caminhada”, ressalta Gercina.

Um abaixo-assinado foi organizado pela comunidade, coletando mais de duas mil assinaturas. Nas redes sociais, a organização comunitária Escambo Coletivo postou uma carta de repúdio que foi compartilhada mais de 400 vezes. De acordo com o prefeito, o novo projeto a ser apresentado pretende contemplar todo o Complexo de Lazer do Mangueirão, que tem uma área de aproximadamente 520 metros quadrados, com campo, pista de skate, quadra e parque infantil.

A ideia, agora, é devolver a quadra, mas também construir a UBS. “Mas gostaria de deixar claro que estou me comprometendo a executar apenas uma parte de todo o projeto, que seria a construção da quadra e o posto de saúde, que irá contemplar até quatro mil pessoas. As demais etapas precisam de um financiamento que ainda vamos conseguir”, explicou. “Depois da reunião com a população, vamos dar início às obras e ver os prazos de entrega.”

Deixe seu Comentário!