Por vingança, mulher ajuda marido a matar ex-amante; seis são presos

121

A Polícia Civil de Pernambuco deflagrou, na manhã desta sexta-feira (20), a Operação Liquefeito para cumprir seis mandados de prisão preventiva dos responsáveis pela morte de Marinaldo Francisco Oliveira, de 51 anos. O assassinato ocorreu no dia 16 de fevereiro na rua Cícero Dias, no bairro de Santo Aleixo, em Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife. A operação foi realizada pela 13ª Delegacia de Homicídios, vinculada à Divisão de Homicídios da Região Metropolitana Sul.

Marinaldo Francisco Oliveira era entregador de gás de cozinha e foi morto com vários tiros de arma de fogo quando estava realizando uma suposta entrega. No início das investigações, a Polícia Civil acreditava de que se tratava de um latrocínio (roubo seguido de morte), porque foram levados o celular e a maquineta de cartão de crédito usados pelo entregador. Contudo, ao longo das investigações, foi constatado que tinha sido um crime premeditado por Ângela Arnaldo Silva Pereira, também de 51 anos, que mantinha um caso extraconjugal com a vítima, segundo a Polícia Civil.

Além de trabalhar como entregador, Marinaldo cuidava do pai de Ângela. Ela é casada com Eraldo Carlos Pereira, de 52 anos, que, também de acordo com a Polícia Civil, participou do crime. As investigações policiais apontaram que Marinaldo terminou o relacionamento e Ângela, descontente com o fim, relatou ao marido e à família que ela tinha sido assediada por Marinaldo.

Outras quatro pessoas participaram do crime. Vitor Alberto dos Santos França, conhecido como Vitinho, de 24 anos, e Adilson Arnaldo da Silva, o Juca, de 40, foram os executores do crime segundo a polícia. Já o cunhado de Ângela, Paulo José de Santana, de 44 anos, e Fernando Joaquim de Santana atraíram Marinaldo para o local do crime. Paulo emprestou a motocicleta utilizada no crime e Fernando realizou a ligação pedindo o gás, atraindo a vítima.

Cinco dos seis mandados de prisão foram expedidos pela comarca de Jaboatão dos Guararapes e um pela vara de Moreno. Os seis envolvidos no crime vão responder por homicídio qualificado por motivo fútil e impossibilidade de defesa da vítima. Os cinco homens serão levados para o Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife. Ângela será encaminhada para a Colônia Penal Feminina de Abreu e Lima, na mesma cidade.

Deixe seu Comentário!