Presidiários comandavam quadrilha de roubo de retroescavadeiras

34

Detentos do Presídio de Limoeiro, no Agreste de Pernambuco, comandavam uma quadrilha especializada no roubo de retroescavadeiras para revenda. Por meio da operação Arapuca, a Polícia Civil do Estado começou a desarticular o grupo. Ao todo, foram identificados dez integrantes da quadrilha. As investigações, que ainda não foram encerradas, são fruto de uma parceria da instituição com a Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres). Em coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira (28), o delegado Mauro Cabral – responsável pelo inquérito – não descarta a participação de mais pessoas no bando.

As investigações iniciaram quando a polícia percebeu uma recorrência de roubos de retroescavadeiras da mesma maneira. “Eles contratavam um serviço de limpeza de terreno ou de escavação de piscina. No dia da execução do trabalho, anunciavam o assalto e rendiam o operador da máquina, deixando ele em uma mata fechada. Enquanto isso, outro integrante da quadrilha levava o veículo para o Interior, onde era repassado para terceiros”, explica Mauro.

O grupo selecionava máquinas especiais, com ar-condicionado, por exemplo. E sempre as revendia por um preço muito abaixo do mercado. Normalmente, uma retroescavadeira no estilo que roubavam custa R$ 200 mil, mas era repassada por aproximadamente R$ 35 mil. “Outro fato que chamou a atenção foi que eles adiantavam parte do valor contratado, pra não desconfiassem que fosse um assalto”, completa o delegado.

A quadrilha
Três dos dez integrantes apontados pela Polícia Civil cumprem pena no Presídio de Limoeiro. Seriam eles, de acordo com as autoridades: Emerson Roberto Sales de Souza (“Nininho”), 23 anos; Washington José da Hora (“Latroia”), 44; Eduardo Guedes da Silva Júnior (“Júnior Cavanhaque”), 43. Ainda haveria a participação de Igor André Guedes Pereira, 28, que cumpre pena no Centro de Triagem de Abreu e Lima (Cotel) desde o fim de março deste ano.

Foram cumpridos nove mandados de prisão. Além dos quatro mencionados, também foram detidos Fábio Batista da Silva (“Fabinho”), 42 – apontado como o operador das retroescavadeiras; Adriano Santos Nascimento (“Passarinho”), 24; Everaldo de Lima Diógenes (“Everaldo”), 38; Edilson de Lima Diógenes (“Matuto”), 52; e Sandro Luiz dos Santos, 39. Ainda foi identificado Gleyson Clovis Alves Muribeca (“Guel”), assassinado em março.

O delegado Mauro Cabral aproveita para pedir que as pessoas que tenham adquirido retroescavadeiras por um preço muito abaixo do comum, ou diretamente com algum dos homens apontados como partícipes, se apresente à polícia para evitar autuação por receptação.

Chefe de Gabinete da Seres, Renato Pinto conta que as informações saiam do presídio por meio de celulares e contato com familiares. “Infelizmente é uma realidade. A apreensão de telefones é uma constante na atividade da secretaria. Estamos trabalhando com muito rigor para evitar a entrada de aparelhos nos presídios”.