Preso que matou agente teria consumido droga de forma excessiva, diz Pedro Eurico

101

Após a morte do agente penitenciário Roberto Murilo Almeida de Oliveira, de 37 anos, no Complexo Prisional do Curado, no bairro do Sancho, na Zona Oeste do Recife, o secretário de Justiça e Direitos Humanos de Pernambuco, Pedro Eurico, informou que o detento Luis Jonas da Conceição, de 24 anos, que teria sido o responsável pelo disparo, teria consumido droga de forma excessiva. “Na verdade, me parece que esse preso estava agitado. Ou seja, deve ter consumido droga de forma excessiva dentro do pavilhão. Ele estava ‘noiado’, como o povo diz”, comentou Pedro Eurico.

Segundo o secretário, a motivação do crime, que aconteceu por volta das 5h desta segunda-feira (19), no Presídio Aspirante Marcelo Francisco de Araújo, ainda não foi esclarecida. De acordo com Eurico, o agente, que estava no quarto, percebeu que o preso apresentava um comportamento alterado e tentou dialogar. “Ao abrir a porta para tentar acalmar, ele percebeu que o preso estava com uma faca. Eles entraram em luta corporal e o detento conseguiu tirar a arma do agente e atirar”, comentou o secretário de Justiça e Direitos Humanos de Pernambuco.

Pedro Eurico informou que não houve tentativa de fuga no presídio. “O agente foi um herói na defesa da tranquilidade da comunidade prisional, inclusive dos companheiros agentes”, classificou o secretário, que informou que está analisando as imagens das câmeras de monitoramento instaladas no sistema prisional.

Entenda
O agente penitenciário Roberto Murilo Almeida de Oliveira, 37 anos, teria visto pelas câmeras de monitoramento que o presidiário Luis Jonas da Conceição estava apresentando comportamento alterado. Ao sair da permanência, foi atacado com uma faca. Na briga corporal, o detento conseguiu tomar a arma do agente e atirou nele. Roberto Murilo ainda chegou a ser socorrido, mas morreu.

Deixe seu Comentário!