Quadrilhas que atuavam no Recife e no Agreste são alvo de operações

92

Organizações criminosas voltadas à prática de homicídios e tráfico de drogas no Recife e no Agreste de Pernambuco foram alvo de uma operação desencadeada na manhã desta terça-feira (28), pela Polícia Civil (PC). As operações Califados e Rota das Russas cumprem 26 mandados de prisão e 23 de busca e apreensão domiciliar. A Califados, com foco em integrantes de uma organização criminosa voltada a prática de homicídios e tráfico de drogas, cumpriu 15 mandados de prisão e seis mandados de busca e apreensão domiciliar, expedidos pelo juizado da Vara Criminal da Comarca do Recife. As investigações começaram em novembro de 2017.

“A quadrilha atuava fortemente na Zona Sul do Recife, com três grupos formados por três líderes diferentes que se rivalizavam e atuavam nas comunidades do Veloso, Entrapulso e Fazendinha. Até o momento foram mapeados sete homicídios e dois outros foram evitados durante as investigações, e já temos informações de que, também desta operação, foram capturados hoje dois alvos em Petrolina. Vamos investigar se havia atuação, também, em cidades do interior”, contou o chefe da Polícia Civil, Joselito Kehrle.

Já a Rota das Russas, cumpriu 11 mandados de prisão e 17 mandados de busca e apreensão domiciliar de integrantes de uma quadrilha envolvida em homicídios, tráfico de drogas e associação para o tráfico. Os mandados foram expedidos pelo juizado da Vara Criminal da Comarca de Vitória de Santo Antão. A investigação começou em junho deste ano. “O nome da operação Rota das Russas se deve, justamente, pela passagem dos traficantes entre Recife e cidades do Agreste, como Glória do Goitá, Vitória de Santo Antão e Gravatá. Essas foram as cidades mais beneficiadas com a operação do grupo, que tinha como foco o tráfico de drogas e os homicídios, que ocorriam em razão do tráfico”, relatou Joselito Kehrle, que acredita na redução da criminalidade nas cidades em que a organização atuava, uma vez que dos onze mandados de prisão, apenas um não foi cumprido.

Durante as investigações e execução da Rota das Russas, foram apreendidos armas de grosso calibre como pistolas, escopetas e revólveres calibre 38, maconha e crack. Um dos presos da operação era detento do semi-aberto, monitorado por tornozeleira eletrônica e participava diretamente da organização.

Deixe seu Comentário!