Recife registra o equivalente a 21 dias de chuva em três horas

220

A chuva que cai desde a madrugada vem causando transtornos em diferentes pontos da Região Metropolitana do Recife nesta segunda-feira (28). Um homem ficou ferido após um telhado de zinco voar e atingir um poste, em Jaboatão. No Recife, o volume de precipatação em apenas três horas equivale a 21 dias da média histórica de janeiro.

A Defesa Civil da capital aponta que, das 8h às 11h, choveu cerca de 70 milímetros no Recife. A média histórica é de 103,8 milímetros ao longo de todo mês de janeiro. Vias de grande movimento da capital, como as Avenidas Abdias de Carvalho e Mascarenhas de Morais, apresentaram alagamentos e trânsito complicado.


O volume de chuva acima da média causou um deslizamento parcial do muro de contenção da pista da Avenida Norte, na altura do Córrego do Jenipapo. Uma das pistas da via precisou ser interditada no final da manhã e equipes de diferentes órgãos da Prefeitura do Recife seguiram para o local.

Devido a um problema na calha, o Aeroporto Internacional dos Guararapes, na Zona Sul do Recife, teve registro de água do saguão. A situação já estava sendo resolvida, segundo a Infraero.

Por volta do meio-dia, uma árvore caiu na Rua Cônego Barata, próximo à Ferreira Costa. Ao longo da manhã, também foram registradas quedas totais e parciais de árvores, com interdição de vias do Recife.

A Defesa Civil registrou 46 chamados até o meio-dia para vistorias técnicas e colocação de lonas, todas sem registro de vítimas. O órgão informou, ainda, que enviou um alerta para 31 mil famílias moradoras de áreas de risco cadastradas no sistema da prefeitura.

A Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), a Justiça do Trabalho e o Ministério Público do Trabalho (MPT) suspenderam o expediente desta segunda devido às chuvas.

A Agência Pernambucana de Água e Clima (Apac) emitiu um alerta de chuva moderada a forte, válido até o fim do dia.

Jaboatão


A Defesa Civil de Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, registrou três ocorrências ao longo da manhã desta segunda-feira. Em Cajueiro Seco, onde um telhado de zinco voou e atingiu um poste de iluminação pública. Um homem, que passava pelo local, foi atingido pelo poste e socorrido, segundo a Defesa Civil do município.

Além disso, ocorreu um desabamento de casa no Alto da Colina, em Cavaleiro, sem vítimas. Houve, ainda, um deslizamento de barreira no Alto da Compesa, na região da Cohab, também sem registro de vítimas.

Também foram registrados alagamentos nas áreas das Praias de Piedade e Candeias, bem como em Cavaleiro.

Raios e trovões


Desde a madrugada, moradores da Região Metropolitana relatam ocorrências de raios. O fenômeno, que não é comum na região, acontece a partir de nuvens altas que se formam em locais com calor e umidade. A explicação é da meteorologista da Apac Aparecida Fernandes.

“O motivo de estarmos ouvindo trovão é porque essas nuvens que estão aqui próximas da gente. São nuvens mais intensas, nuvens mais altas. Têm a profundidade de até 10 quilômetros. Então, elas produzem mais raios. Normalmente, esse tipo de nuvem ocorre quando se tem calor e bastante umidade”, explicou a metereologista.

Deixe seu Comentário!

Assine agora mesmo nosso grupo no WhatsApp e seja o primeiro e saber de tudo!

ASSINAR GRUPO VIP GRÁTIS
Anuncie