Segundo grupo de refugiados venezuelanos chega ao Grande Recife

24

Um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) chegou ao Recife, na tarde desta terça-feira (18), trazendo a segunda leva de imigrantes venezuelanos que estavam em Roraima. Ao todo, 30 pessoas chegaram à capital pernambucana na condição de refugiados e passam a morar em Igarassu, na Região Metropolitana, onde recebem assistência da ONG Aldeias Infantis.

O avião C99 da FAB decolou de Boa Vista às 7h45 (horário local) e chegou ao Recife por volta das 14h. No trajeto, a aeronave pousou em Belém, no Pará, de onde seguiu para a capital pernambucana. Desses 30 imigrantes que chegaram nesta terça (18), 12 são crianças de até 11 anos, quatro são adolescentes e outros 14 são adultos, com idade entre 22 e 48 anos.

Este foi o 13º voo do processo de interiorização, iniciado em abril. Na quarta (19), mais 30 imigrantes seguem para Manaus, outros 30 para o Recife na quinta (20) e 30 para o Rio de Janeiro na sexta (21). Segundo o brigadeiro Walcyr Araújo, comandante do Terceiro Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle do Tráfego Aéreo (Cindacta III), a operação humanitária é realizada em parceria com o Exército.

“Essa operação, carinhosamente apelidada de ‘Acolhida’, envolve as Forças Armadas. O Exército atua nas fronteiras e, à medida que os venezuelanos fazem a tentativa de ingresso no Brasil, eles são vacinados, alimentados e hospedados. Posteriormente, são cadastrados para interiorização”, disse o brigadeiro.

Ainda segundo o brigadeiro, o processo de interiorização consiste na divisão dos imigrantes nas unidades federativas, selecionadas previamente pela Casa Civil. Até hoje, 1.914 venezuelanos foram interiorizados para nove estados do Brasil.

“Nesse caso, os 30 chegaram em Pernambuco para ir para Igarassu. Foram alimentados e transportados de ônibus até a cidade. Nas Aldeias Infantis, eles vão ser acolhidos e passam por um processo de adaptação”, disse.

O alojamento administrado pela ONG Aldeias Infantis tem estrutura residencial composta por sete casas, com cinco quartos, que comportam até 10 pessoas. De acordo com a Casa Civil, responsável pelo processo, todos os imigrantes têm documentação como CPF e carteira de trabalho, foram vacinados, submetidos a exames de saúde e aceitaram participar voluntariamente do processo.

Venezuelanos em Igarassu
Em julho, 114 imigrantes venezuelanos embarcaram em Boa Vista em uma operação humanitária para refugiados. O grupo foi dividido em comunidades em Pernambuco e na Paraíba, em um acordo dos estados com o governo federal para distribuir por outras cidades brasileiras os imigrantes que entraram no país pela fronteira com a Roraima.

Ao todo, 69 dos 114 venezuelanos seguiram para Igarassu, no Grande Recife, onde passaram a morar. São 39 adultos e 30 crianças e adolescentes. Dois meses após a transferência, eles lamentaram a falta de trabalho e a onda de violência em Pacaraima (RR), cidade que faz fronteira com a Venezuela.

Deixe seu Comentário!