Suspeito de aliciar adolescentes já havia sido preso em 2014

98

O assistente administrativo recifense Alyson Felipe Andrade da Silva, 27 anos foi preso, na última quinta-feira (19), em uma operação do Grupo de Repressão a Crimes Cibernéticos (GRCC), da Polícia Federal, com o objetivo de combater a produção e divulgação de pornografia infantil na internet. Para aliciar adolescentes, principalmente do sexo masculino, o criminoso se passava por mulher em uma rede social e conseguia material pornográfico das vítimas. De acordo com a PF, foram 123 vítimas menores de idade no Brasil – pelo menos dez em Pernambuco – e no exterior.

Alyson já havia sido preso pela Polícia Civil em setembro de 2014 pela mesma modalidade criminosa, extorquindo um adolescente para que não fosse divulgado o conteúdo pornográfico. Mesmo em regime semi-aberto, ele chegou a praticar os crimes a partir do Presídio Agroindustrial São João, em Itamaracá, na Região Metropolitana de Pernambuco.

Após a perícia, foram encontradas inúmeras imagens e vídeos no celular do suspeito, desde imagens pornográficas dos adolescentes vitimados, bem como registros do suspeito orientando os jovens a fazerem poses em situações eróticas. Consta também o registro de fotos de jovens feitas três horas antes da prisão.

Foram expedidos um mandado de prisão preventiva e dois de busca e apreensão, com o objetivo de apreender quaisquer computadores e equipamentos com potencial de armazenamento de imagens e vídeos que contenham pornografia infantil. A investigação teve origem em informações do Centro Nacional para Crianças Desaparecidas e Exploradas dos Estados Unidos, que foram repassadas para a PF do Brasil, através de relatórios.

Documentos apontavam que um suspeitos utilizava vários perfis falsos no Facebook. O criminoso fingia ser uma mulher e tinha como principal alvo adolescentes do sexo masculino. Após conseguir o material, o criminosos obrigava chantageava suas vítimas, obrigando-os a lhe enviar mais imagens, desta vez molestando seus irmãos menores e animais.

Alyson foi autuado em flagrante pelos crimes de produção, divulgação, transmissão e armazenamento de cenas de sexo explícito ou envolvento crianças ou adolescentes (Lei 8.069/90 do Estatuto da Criança de do Adolescente), além dos crimes de estupro virtual de vulnerável.As penas somadas ultrapassam os 20 anos de reclusão.

O suspeito foi submetido a exame de corpo de delito no Instituto de Medicina Legal, teve sua prisão preventiva confirmada numa audiência de custódia e se encontra detido no Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna (COTEL), onde estará a disposição da Justiça Federal.

Em seu interrogatório o preso admitiu ter criado os perfis falsos com vistas a aliciar menores para que eles produzissem sob sua supervisão e lhe enviassem material contendo pornografia infantil deles mesmos. As investigações continuarão a fim de identificar possíveis vítimas dos crimes.

Deixe seu Comentário!