Tubarão: Cemit busca ideias para conter ataques

107

O Comitê Estadual de Monitoramento de Incidentes com Tubarões (Cemit), colegiado vinculado à Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS-PE), pesquisará em outros países soluções para mitigar os incidentes nas praias do litoral pernambucano. São experiências do exterior, além de buscas bibliográficas, que subsidiarão ideias para novas linhas de pesquisa. O trabalho visa auxiliar na concepção do novo edital de chamamento público, que será lançado ainda neste semestre pela Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (Facepe).

A primeira reunião ocorreu nessa quarta-feira (18) na sede da Facepe, no bairro da Madalena, Zona Oeste do Recife, e contou com a participação de instituições que integram o comitê, entre elas, a Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), Grupamento de Bombeiro Marítimo (GBMar) e o Instituto de Medicina Legal (IML). Embora essas soluções mitigadoras ainda estejam no campo da discussão em Pernambuco, em outros países elas têm como principal aliada a tecnologia de ponta.

A Austrália, por exemplo, apontada como um dos países com maior número de casos de incidência com tubarão, investe na segurança de banhistas por meio do uso de drones e vigilância por helicóptero como estratégias de gerenciamento desses animais em praias. Além disso, o continente australiano também aposta em armadilhas inteligentes, que consistem em linhas com iscas, que alertam as autoridades imediatamente quando uma delas for retirada de um anzol.

O presidente do Cemit, coronel do Corpo de Bombeiros Leodilson Bastos, adiantou que outra novidade dessa convocatória é que, ao contrário do edital anterior, o chamamento não será restrito apenas a estudiosos de instituições de ensino, como universidades e centros de pesquisa. “Além de ampliarmos as linhas de pesquisa, daremos oportunidade para que estudiosos de áreas diversas do conhecimento científico se habilitem e desenvolvam seus projetos com financiamento do Estado”, diz, sem dar mais detalhes. Confirma apenas que os mesmos assuntos do edital anterior se somarão às novas propostas.

Em 2015, o edital da Facepe apostou nos temas: diagnóstico das causas dos ataques com tubarões em Pernambuco; tecnologias para o monitoramento, prognóstico e mitigação de incidentes com tubarões em Pernambuco; segurança e educação ambiental; e avaliação do impacto sócio-econômico dos incidentes com tubarões.

A equipe médica de cirurgia vascular do Hospital da Restauração, no bairro do Derby, na área Central do Recife, vai reavaliar, esta quinta-feira (19), o enxerto de pele na mão direita de Pablo Diego Inácio de Melo, de 34 anos, vítima de um ataque com um tubarão, domingo, na Praia de Piedade, em Jaboatão dos Guararapes, Região Metropolitana do Recife. A vítima teve o braço e a perna direita atingidas pelo animal. A perna foi amputada e o braço, revascularizado. Segundo o boletim médico, o paciente continua evoluindo bem, não apresenta febre e respira sem ajuda de aparelhos.

Deixe seu Comentário!

Anuncie