Venezuelanos desembarcam em Pernambuco nesta terça

35

Pernambuco receberá 70 imigrantes venezuelanos hoje vindos da cidade de Boa Vista, Roraima. O grupo chegará numa aeronave da Força Aérea Brasileira, com mais 45 compatriotas que seguirão para João Pessoa, na Paraíba. A vinda dos venezuelanos para o Estado faz parte de um acordo entre o Governo e a Secretaria Nacional da Casa Civil e o Comitê Federal de Assistência Emergencial, que, desde o início do ano, tratam do fluxo migratório desses estrangeiros.

Em abril, o Governo Federal realizou etapas de interiorização, levando venezuelanos para as cidades de Cuiabá, Manaus e São Paulo. As equipes da Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude (SDSCJ) estão organizando a infraestrutura para esse acolhimento emergencial. Os 70 imigrantes seguirão, em veículos do Exército, para Igarassu, onde serão acolhidos pela Aldeias Infantis SOS – uma organização humanitária global de promoção ao desenvolvimento social. De acordo com o secretário da SDSCJ, Cloves Benevides, o Governo do Estado providenciará vagas nas escolas para as crianças e adolescentes, serviços de assistência, saúde e regularização de documentos para todos, além de auxiliar os imigrantes interessados em trabalhar.

Segundo informações da Agência Brasil, quase 40 mil venezuelanos saíram do país para tentar a vida no Brasil, pois estariam fugindo da situação política e econômica de seu território natal. Para ajudar a situação nas cidades de Roraima, que abriga quase 600 imigrantes, vários grupos serão deslocados. Com isso, espera-se garantir melhores condições a eles, já que boa parte possui alta escolaridade e chances de colocação no mercado de trabalho. Desse total, 350 já foram para a cidade de São Paulo, 100 para Cuiabá, 70 para Manaus e 30 para Campinas.

A escolha das cidades foi feita a partir do diálogo entre o Governo Federal e prefeituras, que se disponibilizaram a receber os venezuelanos. Segundo a Casa Civil da Presidência da República, a capital paulista aceitou a ida de um contingente maior pela experiência desenvolvida com o acolhimento de haitianos. A seleção dos venezuelanos foi feita por representantes do escritório brasileiro da Acnur (Agência das Nações Unidas para Refugiados).

O primeiro critério de corte é a identificação daqueles que têm vontade de se estabelecer no País. De acordo com a Casa Civil, foram mesclados diferentes perfis. Entre os que irão para São Paulo, por exemplo, há famílias e jovens solteiros. Os traslados serão custeados pelo Governo Federal. As transferências estão sendo realizadas por meio de aeronaves da Força Aérea Brasileira. Já os que foram selecionados para ir a Manaus fizeram o trajeto de ônibus.