Virgens do Bairro Novo desfilam pelo 65º ano em Olinda

105

Um dos blocos mais tradicionais e irreverentes do circuito carnavalesco pernambucano, as Virgens do Bairro Novo, aconteceu, neste domingo (4), em Olinda, no Grande Recife. As Virgens do Bairro Novo, que chega este ano à sua 65º edição, reúne milhares de foliões que, por um dia, escondem sua masculinidade no armário para viver, com roupas, sapatos e maquiagens, a plenitude de sua porção mulher.

A concentração ocorreu na Praça 12 de Março, onde também houve o julgamento das sete categorias – só as cinco primeiras conferem à vencedora um troféu e um prêmio de R$ 400, são elas: grupo, luxo, originalidade, destaque e “mais malamanhada”.  Os prêmios foram distribuídos da seguinte maneira. Na categoria Grupo, ficou em primeiro lugar “Alice no Carnaval das Maravilhas”. Na categoria Luxo, venceu a Colombina. O prêmio de originalidade vai para a “Bruxa Presidenta e Crematório de Políticos”, de Antônio Marinho. Carlos Mota, fantasiado de “Ivete Zangado grávida de gêmeos” ganhou o Primeiro Lugar na categoria Destaque. O troféu de Mais Malamanhado foi dado à fantasia “Desabrigada com fome”, Já a mais Tímida foi a fantasia de Vovó Mafalda. E a Mais Sapeca foi “Febre Amarela – voltei Recife”.

No desfile deste ano, 14 trios elétricos garantem a animação que, entre as atrações confirmadas, contam com a Banda Sedutora, Asas da América e Som da Terra. Até o meio-dia, quando encerra o concurso, uma orquestra de 60 músicos colocará o povo para frevar.

Entre as fantasias, não faltam críticas aos políticos e membros do judiciário. Vestido de “bruxa presidenta”, o comerciante Antonio Marinho colocou figuras como o ex-presidente Lula e o atual presidente Michel Temer em seu caldeirão. “A gente vem sofrendo tanto por causa deles. Assim, posso dar o castigo que merecem”, alfineta. Rubem Alves resolveu se fantasiar como a deputada Cristiane Brasil. “Vim mostrar que posso ser ministra sim, porque sou tão corrupta quanto os que estão no poder”, brinca.

O produtor de eventos Carlos Mota participa há mais de 20 anos do bloco e ganhou pela 13ª no concurso, dessa vez, na categoria Destaque. Ele estava vestido de Ivete “Zangado”, deitado em uma maca, dando à luz às filhas gêmeas. “Não tinha lugar melhor para eu ter minhas filhas do que o Carnaval de Olinda”, brincou.

A história do bloco é marcada pela irreverência. Nos primórdios, ele se resumia a uma pelada na praia do Bairro Novo, na qual os participantes apareciam vestidos de mulher para jogar bola e chocar os banhistas. A brincadeira se consolidou, arrastando milhões de foliões pelas ruas de Olinda, se tornando uma das prévias mais famosas do Carnaval pernambucano e, acima de tudo, expondo a face feminina – e desinibida – de homens de todas as idades e segmentos sociais.

Bloqueios e segurança
Para o desfile das Virgens do Bairro Novo, a Prefeitura de Olinda fez dois bloqueios do trânsito que devem se estender até as 17h. A interdição é a partir do Varadouro e toda extensão da avenida Getúlio Vargas até a esquina do Hospital São Salvador. A rota de fuga para ambulâncias e viaturas da Polícia Militar será pela rua Elesbão de Castro, com saída tanto para beira mar quanto para o bairro dos Bultrins.

A Secretaria de Transportes e Trânsito de Olinda colocará 16 agentes de trânsito e dez auxiliares. No quesito segurança, ao todo foram mobilizados 500 policiais militares, além de 400 seguranças particulares. Dez ambulâncias estão disponíveis para atender alguma emergência.